quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Centro de Gravidade

A importância do centro de gravidade da carga para o bom desempenho e tempo de vida do caminhão.
Os aspectos relacionados com a acomodação adequada de cargas nos veículos de transporte envolvem diversos princípios e regras práticas, bem como procedimentos que devem seguir a legislação pertinente.

A correta distribuição da carga no veículo é fundamental para uma operação segura e econômica.

Dentre os efeitos observados pela distribuição incorreta da carga no veículo, pode-se destacar:

• Pouca estabilidade;
• Falta de aderência;
• Iluminação deficiente;
• Sobrecarga nos eixos;
• Desgaste prematuro de diversos componentes, como pneus, freios, eixos, molas, amortecedores, sistemas de direção;
• Elevação do consumo de combustível.

Os efeitos são numerosos e extremamente prejudiciais ao veículo, causando à empresa gastos adicionais desnecessários que podem ser facilmente evitados.

Quando a carroceria está 100% ocupada, ou seja, com sua capacidade máxima devidamente colocada, o centro de gravidade da carga distribui igualmente o peso entre os pneus dianteiros e traseiros, não sobrecarregando ou danificando os componentes do caminhão. (Nas imagens ilustrativas deste blog, vamos representar o centro de gravidade com a imagem de um pontinho:)

Os caminhões são veículos robustos e preparados para encarar os desafios dos serviços diários de distribuição de cargas, mas escolhas incessantemente errôneas de processos podem causar danos irreparáveis a qualquer caminhão. Devido às características de algumas mercadorias, suas operações de coleta e entrega devem ser tratadas individualmente. É fundamental estudar cada caso e escolher o melhor equipamento e sistema de rotina de distribuição que evite os efeitos maléficos do deslocamento do centro de gravidade da carga. Isso garante o bom desempenho do serviço e evita danos prematuros e prejuízos maiores.

A fim de chegar à escolha ideal do sistema de entrega, a equipe envolvida deve ficar bastante atenta aos conseqüentes deslocamentos do centro de gravidade em todas as etapas do processo de distribuição:

. no início, com o caminhão totalmente carregado;
. ao longo do percurso, enquanto são feitas as descargas, normalmente pela porta traseira, gerando sobrecarga no eixo dianteiro na etapa final da entrega.




No exemplo acima, a concentração da carga na parte da frente deslocou o centro de gravidade do caminhão, sobrecarregando os pneus dianteiros.

No caso da distribuição de cargas em geral, é interessante optar por equipamentos que permitam acessibilidade pelas laterais, através de portas articuladas ou corrediças. Elas podem ajudar bastante na localização estratégica das entregas, melhorando as condições de distribuição do peso ao longo do percurso.



Portas laterais podem ajudar muito




PARA CADA APLICAÇÃO, UMA DICA IDEAL

Cada equipamento tem características e peculiaridades que devem ser levadas em consideração.

No serviço de coleta de lixo, o mesmo problema mencionado acima para cargas em geral pode ocorrer. Mas, inversamente, com a maior concentração de carga no eixo dianteiro ocorrendo no início da operação, pode acontecer uma situação como essa ilustrada pela imagem abaixo:



No fim do período de coleta, devido ao deslocamento do centro de gravidade para trás, se apresenta sobrecarga no eixo traseiro.

Nesse caso, molas traseiras mais curtas, usuais neste tipo de aplicação, podem minimizar o efeito negativo.




No serviço de distribuição de bebidas, gás e outros, é fundamental ter cuidado para se evitar concentração de peso lateral da carga. Veja:



Botijões de gás cheios não devem ficar concentrados em somente um lado da carga, enquanto vazios ficam do outro. Caixas cheias não devem ficar concentradas em somente um lado da carga, enquanto vazias ficam de outro lado. O equilíbrio do peso é fundamental para manter o centro de gravidade da carga num ponto não prejudicial ao veículo.




Confira dicas de como equilibrar o centro de gravidade da carga no uso de caçambas basculantes
e tanques de água.

("A importância do centro de gravidade da carga"), prolongamos o debate hoje, oferecendo dicas para quem trabalha com caçambas basculantes e tanques de água.

Antes, é interessante lembrarmos quais são os efeitos negativos de uma carga mal distribuída:

a) No eixo dianteiro
Se a carga estiver com a maior parte do seu peso recaindo sobre o eixo dianteiro, pode sobrecarregá-lo, tornando a direção pesada e, com isso, prejudicando a dirigibilidade do veículo.

b) No eixo traseiro
Se a carga estiver concentrada no balanço traseiro, pode provocar excesso de peso no eixo traseiro e falta de peso no dianteiro, tornando a direção leve, com aderência insuficiente. Em aclives ou depressões da via, pode-se, em casos extremos, perder o contato das rodas dianteiras com o solo.

c) No caso de semi-rebusques
Se a carga estiver incidindo acentuadamente sobre o eixo motriz do caminhão-trator, ocorrerá sobrecarga e desgaste dos pneus, ocasionando má estabilidade do conjunto.
Se a carga estiver incidindo na parte traseira do semi-reboque, pode haver falta de aderência das rodas propulsoras do veículo-trator e desgaste excessivo dos pneus do semi-reboque.

d) Influência da distribuição de carga no facho luminoso dos faróis
O facho de luz dos faróis só proporcionará uma iluminação eficiente e segura se o veículo estiver com a carga corretamente distribuída. Havendo sobrecarga no eixo traseiro, o facho de luz ficará alto, comprometendo sua eficiência. Se o eixo dianteiro estiver sobrecarregado, o facho de luz ficará baixo, reduzindo a área iluminada à frente do veículo, comprometendo sua segurança.

e) Posicionamento do centro de gravidade da carga em relação à largura da carroceria
O centro de gravidade da carga também deve estar posicionado adequadamente em relação à largura da carroceria, ou seja, coincidindo com o centro de gravidade do conjunto. Quando ele estiver deslocado para uma das laterais, haverá um esforço maior sobre a suspensão e os pneus daquele lado, podendo ocasionar derrapagens em razão das condições desiguais de frenagem ou até tombamentos devido a desníveis da pista.




OPERAÇÕES ESPECÍFICAS DEMANDAM AÇÕES ESPECÍFICAS

Nas operações de descarga com carroçarias e semi-reboques basculantes, deve-se tomar alguns cuidados, especialmente se a carga for aderente. Nesse caso ela apresentará resistência ao deslizamento, como acontece com a argila molhada, barro, terra úmida, lixo, etc. Para operar com este tipo de material, é necessário que o sistema hidráulico proporcione um ângulo de basculamento na ordem de 50 graus.

Outro importante cuidado na operação é no que diz respeito à posição do veículo no momento de sua descarga. Ele deve ser colocado em posição plana e nivelado, pois existe perigo de tombamento, devido ao deslocamento do centro de gravidade da carga, conforme ilustra a imagem abaixo.




A descarga deve ser feita preferencialmente em terrenos nivelados



Cargas coroadas sobrecarregam os pneus traseiros

A chamada "carga coroada" (que ultrapassa a capacidade volumétrica da carroceria) também deve ser evitada. A instalação de laterais de madeira, também conhecida como "tábua fominha", tende a gerar sobrecarga nos veículos. Quanto aos cuidados com a carga, os equipamentos basculantes que trafegam em vias públicas e rodovias devem utilizar cobertura de lona para evitar o derramamento da mesma.




No transporte de água por tanques, é usual a utilização de quebra-ondas longitudinais e transversais, que minimizam o deslocamento da água e, conseqüentemente, do seu centro de gravidade. Afinal, o líquido se movimenta facilmente nos diversos momentos de percurso: ao frear, em curvas, subindo ou descendo rampas.



O deslocamento da água para a frente do tanque desloca o centro de gravidade para a frente do veículo, sobrecarregando os pneus dianteiros.